BiblioBeiriz

Serviços de Biblioteca – Agrupamento de Escolas Campo Aberto – Escola E.B. 2/3 de Beiriz

Archive for 25 de Abril, 2010

“O Dia da Liberdade”

Posted by bibliobeiriz em Abril 25, 2010

25 poemas e canções para o 25 de Abril

O Dia da Liberdade
25 de Abril

Este dia é um canteiro
com flores todo o ano
e veleiros lá ao largo
navegando a todo o pano.
E assim se lembra outro dia febril
que em tempos mudou a história
numa madrugada de Abril,
quando os meninos de hoje
ainda não tinham nascido
e a nossa liberdade
era um fruto prometido,
tantas vezes proibido,
que tinha o sabor secreto
da esperança e do afecto
e dos amigos todos juntos
debaixo do mesmo tecto.

José Jorge Letria in O livro dos dias (AMBAR)

Posted in 25 de Abril, 25 poemas e canções para o 25 de Abril, José Jorge Letria, poesia | Leave a Comment »

Grândola, vila morena

Posted by bibliobeiriz em Abril 25, 2010

Zeca Afonso                                                               25 poemas e canções para o 25 de Abril

Grândola, vila morena
Terra da fraternidade
O povo é quem mais ordena
Dentro de ti, ó cidade

Dentro de ti, ó cidade
O povo é quem mais ordena
Terra da fraternidade
Grândola, vila morena

Em cada esquina um amigo
Em cada rosto igualdade
Grândola, vila morena
Terra da fraternidade

Terra da fraternidade
Grândola, vila morena
Em cada rosto igualdade
O povo é quem mais ordena

À sombra duma azinheira
Que já não sabia a idade
Jurei ter por companheira
Grândola a tua vontade.
Fonte  ; Ouvir
Para saber mais:

  • Canção publicada  no álbum Cantigas do Maio, 1971 > «O mais histórico e o mais referencial de todos os discos da música popular portuguesa. Gravado no Strawberry Studio, de Michel Magne, em Herouville (França), entre 11 de Outubro e 4 de Novembro de 1971, com arranjos e direcção musical a cargo de José Mário Branco, este disco assinala a primeira viragem de fundo na revolução musical iniciada por Zeca uma dúzia de anos antes. (…) Um tema, no entanto, bastaria para fazer de Cantigas do Maio um marco da história portuguesa: Grândola vila morena*, escolhida em 1974 como senha* para o arranque do Movimento dos Capitães, que em 25 de Abril derrubou a ditadura fascista.» Viriato Teles  in Discografia  na AJA)
  • Grândola vila morena” como senha de Abril– nas palavras de Zeca Afonso – no canal do YouTube da Associação José Afonso
  • Senhas Musicais do 25 de Abril*;
  • Artigo sobre esta canção na wikipedia
  • «Foi o capitão de fragata Almada Contreiras, (…), quem teve a ideia de se usar a canção Grândola, Vila Morena, da autoria de José Afonso (1929-1987) como senha radiofónica para o início das operações no dia 25 de Abril. Tinha-se primeiro pensado numa outra composição de José Afonso, eventualmente mais revolucionária, Venham Mais Cinco, mas Carlos Albino, jornalista do República e responsável pelo programa de rádio Limite, da Rádio Renascença, informou de que tal não seria possível, porque a canção estava proibida pela censura interna dessa estação de rádio. Almeida Contreiras sugeriu então que se passasse Grândola, Vila Morena, cujo texto salientava os valores da igualdade e da fraternidade. A proposta foi aceite e às 0h20 do dia 25 de Abril Grândola, Vila Morena ouviu-se no programa Limite, uma produção independente diariamente apresentada na emissora católica Rádio Renascença.» in Centro de Língua Portuguesa em Hamburgo: núcleos temáticos: 25 de Abril (Instituto Camões)

————————————

Alunos da opção de Música dos 9ºs A, C e E cantam “Grândola, vila morena”- actividade musical integrada na comemoração  ” Oitenta Anos de Zeca Afonso ou a Liberdade não tem idade”- dia 23 de Abril 2010

Posted in 25 de Abril, 25 poemas e canções para o 25 de Abril, 80 anos Zeca Afonso, História, Música na Escola, poesia, Zeca Afonso | Com as etiquetas : , | 1 Comment »

“Canto Moço”

Posted by bibliobeiriz em Abril 25, 2010

25 poemas e canções para o 25 de Abril

Somos filhos da madrugada
Pelas praias do mar nos vamos
À procura de quem nos traga
Verde oliva de flor no ramo
Navegamos de vaga em vaga
Não soubemos de dor nem mágoa
Pelas praias do mar nos vamos
À procura da manhã clara

Lá do cimo duma montanha
Acendemos uma fogueira
Para não se apagar a chama
Que dá vida na noita inteira
Mensageira pomba chamada
Companheira da madrugada
Quando a noite vier que venha
Lá do cimo duma montanha

Onde o vento cortou amarras
Largaremos pela noite fora
Onde há sempre uma boa estrela
Noite e dia ao romper da aurora
Vira a proa minha galera
Que a vitória já não espera
Fresca brisa, moira encantada
Vira a proa da minha barca

in Traz outro amigo também (1970)

Ouvir

Posted in 25 de Abril, 25 poemas e canções para o 25 de Abril, 80 anos Zeca Afonso, poesia, Zeca Afonso | Leave a Comment »