BiblioBeiriz

Serviços de Biblioteca – Agrupamento de Escolas Campo Aberto – Escola E.B. 2/3 de Beiriz

Florinda & o Pai Natal

Posted by bibliobeiriz em Dezembro 10, 2010

de Matilde Rosa Araújo e Maria Keil publicado pela Calendário de Letras : um livrinho a incluir na lista de prendas.
Excerto transcrito do artigo de Rita Pimenta, “Os livros de Matilde” (in Público- 26.07.2010) :
«Dezembro. Mês de frio, muito frio. Dias de chuva e de gelo. Florinda vinha da escola, atravessava o Jardim da Estrela. Jardim tão bonito, mesmo no Inverno!
O cachecol enrolado em volta do pescoço, tapando-lhe um poucochinho o nariz vermelho de frio. As botas de cabedal (castanho como o tronco das árvores) protegian os seus pés de menina. Menina de oito anos, que já sabia ler. E bem. Que alegria, quando começou a juntar as letras! Ler. Escutar as letras no papel do caderno, do livro, na lousa do quadro.
Conversar com elas.
Ler alto ou em silêncio.
Afagou a malinha da escola, que trazia presa ao ombro.
Ah! Mas que frio!
Mas não era para estranhar. Em Dezembro é sempre assim. E o Sol, nos dias em que brilha, é como se uma mão amiga nos afagasse.
Florinda gostava de atravessar o jardim. Às vezes vinha acompanhada por colegas da escola, outras vezes eles tomavam outro caminho.
– Psht… menina!
Olhou para o banco de jardim, de onde vinha o chamamento. Nele estava sentado um Pai Natal, vestido com um balandrau vermelho, a mão direita a segurar uma dezena de balões. Um verdadeiro arco-íris. Balões de todas as cores, agitados com o ventinho da tarde.
Ah! O Pai Natal! O Natal está à porta, embora ainda tenha escola…
Florinda, timidamente, aproximou-se do banco. Lembrou-se dos conselhos da avó, sempre preocupada:
– Florinda, nunca fales com desconhecidos. Ouviste?
Em silêncio, continuava a ouvir a avó. Não fales com desconhecidos…
– Queres comprar-me um balão, menina?
Florinda aproximou-se mais. Ficou parada, hesitante, sem saber o que dizer.
– Sabe, menina? – confidenciou o Pai Natal. – Estou cansado. Muito cansado. Sentei-me aqui porque já me doíam muito os pés. Não se quer sentar um bocadinho?
Florinda hesitou. Embora Pai Natal, sempre era um desconhecido. (…) » (aqui)

Uma resposta to “Florinda & o Pai Natal”

  1. IMD said

    Coincidência!

    Adquiri este livro há pouco tempo (há dois dias).
    Foi com grande espanto que me deparei com este excerto, desse fabuloso livro (inédito!)de Matilde Rosa Araújo, num blogue escolar.
    Acho que os bons autores, cujas obras se revestem de substanciais conteúdos, estão a ser, a pouco e pouco, arrumados nos cantos do esquecimento do sótão da História da Literatura, para dar lugar aos «fazedores» de continhos de entreter!

    Sou uma leitora assídua de livros de Literatura para a Infância e faço questão de acompanhar a evolução das publicações que, neste ramo, vão proliferando por este país fora, e o panorama não é muito animador…

    Foi uma surpresa agradável!
    Bem-hajam pelo vosso blogue! É muito interessante!

    IMD

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s