BiblioBeiriz

Serviços de Biblioteca – Agrupamento de Escolas Campo Aberto – Escola E.B. 2/3 de Beiriz

Archive for the ‘Alice Vieira’ Category

Exposição temporária- Alice Vieira

Posted by Manuela DLRamos em Setembro 26, 2016

Em destaque na BE, os livros de Alice Vieira, na imagem tal como aparecem na prateleira virtual do GoodReads da BE, ordenados por ordem alfabética do título (nb: sem contar com os determinantes artigos).

Por que razão escolhemos esta autora? É simples: dois trechos de dois dos seus livros são transcritos nas primeiras unidades do manual do 6º ano, e aparecem referidos no índice de “tipos de textos” como “narrativa juvenil em prosa”, o que muito agradou a todos, que já não se consideram crianças.

Na imagem que em baixo se reproduz, temos obras para todos os públicos (infantil, juvenil e adulto) e gostos. Da poesia ao teatro, passando  pela biografia, o diário, o conto tradicional,  e até a explicação de expressões idiomáticas. Decididamente, uma autora multifacetada que merece ser lida.

No Scoop.it da BE podes ficar a conhecer melhor Alice Vieira e até ler alguns das suas obras em formato e-book no Cata- Livros.

Participa no primeiro Desafio da Semana e habilita-te desde já a ganhar um livro desta grande escritora.alice_vieira

Carregar na imagem para aceder à prateleira virtual do GoodReads da BE.

Posted in Alice Vieira, Goodreads | Com as etiquetas : , , | Leave a Comment »

“O sol mascarado de chuva”

Posted by Manuela DLRamos em Janeiro 28, 2016

Hoje achamos que está um dia de “Sol mascarado de chuva”… Não achas?
Uma expressão otimista mesmo apropriada para o dia de hoje, e que é o título de uma das histórias do Livro com Cheiro a Baunilha de Alice Vieira (texto) e Afonso Cruz (ilustração).
Para além dessa, há mais histórias: Nós e nozes | A surdez da bisavó | Fim do dia | O mar de Clara | A mais bela do mundo | O meu irmão é um grande artista | Sopa de letras | Cantinela muito aguda | Prenda de natal | Saudades da Branca de Neve | O sonho do Rodrigo | O Primeiro | Sol mascarado de chuva | Baunilha e mimos | Fim de verão.
Para as leres agora, agorinha mesmo (e fazeres muitas mais coisas), clica na imagem:
livrocomcheiroabaunilha

Posted in Afonso Cruz, Alice Vieira, Cata Livros | Com as etiquetas : | Leave a Comment »

Exposição Bibliográfica- Alice Vieira

Posted by Manuela DLRamos em Outubro 13, 2014

alicevieiraETDepois dos livros de António Mota e de Maria Teresa Maia Gonzalez, foi a vez de saírem das estantes alguns livros de Alice Vieira.

«BIOGRAFIA: Alice Vieira nasceu em 1943 em Lisboa. É licenciada em Germânicas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Em 1958 iniciou a sua colaboração no suplemento “Juvenil” do Diário de Lisboa e a partir de 1969 dedicou-se ao jornalismo profissional.

Desde 1979 tem vindo a publicar regularmente livros tendo, editados na Caminho, mais de cinco dezenas de títulos.

Recebeu em 1979, o Prémio de Literatura Infantil Ano Internacional da Criança com Rosa, Minha Irmã Rosa, em 1983, com Este Rei que Eu Escolhi, o Prémio Calouste Gulbenkian de Literatura Infantil, e em 1994 o Grande Prémio Gulbenkian, pelo conjunto da sua obra.

Foi indicada, por duas vezes, como candidata portuguesa ao Prémio Hans Christian Andersen. Trata-se do mais importante prémio internacional no campo da literatura para crianças e jovens, atribuído a um autor vivo pelo conjunto da sua obra.

Alice Vieira é uma das mais importantes escritoras portuguesas para jovens, tendo ganho grande projecção nacional e internacional. Foi igualmente apresentada por duas vezes, como candidata ao ALMA (Astrid Lindgren Memorial Award).»

Esta biografia foi transcrita da página da editora dedicada à autora, onde se podem ler as sinopses dos seus livros.

Posted in Alice Vieira | Com as etiquetas : , | Leave a Comment »

“Cantiga ao desafio”

Posted by Manuela DLRamos em Março 5, 2012

– Menina, que sabe ler,
também sabe soletrar!
Diga lá, minha menina:
quantos peixes há no mar?

– Quantos peixes há no mar?
eu já te vou responder
São metade e outros tantos
fora os que ainda estão por nascer.

Diz-me lá, ó cantador,
quantas penas tem um pato?
quantos picos um ouriço,
quantos cabelos um gato?

-Menina, perguntas bem,
agora respondo eu:
penas, picos e cabelos
só têm os que Deus lhe deu.

-Tenho duzentos lencinhos,
um coroa em cada ponta:
ó menina que é tão fina,
faça-me lá essa conta!

-São quatrocentos mil réis
nem é preciso escrever,
que és um belo cantador
já ficámos a saber.

– Menina que tanto sabe,
responda a esta pergunta:
que ciência tem o mar,
que tanta água em si junta?

– A ciência que o mar tem,
não é coisa de pasmar:
não há rio nem regato
que ao mar não vá parar. 

Alice Vieira, Eu bem vi nascer o sol, Caminho
(carregar no título ou na capa do livro para aceder a parte do seu conteúdo digitalizado)

Para saber mais:

  • Estas cantigas, também chamadas cantigas à desgarrada, são cantigas em que os cantadores e as cantadeiras improvisam e entram em despique. Algumas destas cantigas fazem parte do nosso património e  estão registadas nos cancioneiros  É o caso destas quadras que Alice Vieira compilou na sua antologia de literatura tradicional. (ver variantes e outras versões desta cantiga aqui).
  • PP&EE: recensão na casa da leitura

Nota: este artigo também foi publicado aqui

Posted in Alice Vieira | Com as etiquetas : , , , , , , | 1 Comment »

 
%d bloggers like this: