BiblioBeiriz

Serviços de Biblioteca – Agrupamento de Escolas Campo Aberto – Escola E.B. 2/3 de Beiriz

Archive for the ‘Provas de aferição’ Category

Prova de aferição do 1º ciclo- os textos

Posted by bibliobeiriz em Maio 5, 2010

Da prova de Língua Portuguesa do 4º ano,  disponível no GAVE :

TEXTO A

«No momento em que o Homem chegou à Lua, a Lua estava a dormir profundamente, depois de ter passado várias noites agitada por estranhos pesadelos.
Quando acordava, não conseguia recordar-se deles, mas sentia o desconforto que os sonhos maus costumam deixar-nos no corpo, na memória e até à flor da pele.
Quando o Homem pisou o seu solo áspero e poeirento, a Lua sentiu que qualquer coisa rara e importante estava a acontecer, pois, desde sempre, o Homem pousara nela os seus olhos curiosos e brilhantes sem descobrir a maneira de chegar tão longe e tão alto, talvez para a beijar ou para a abraçar.
Durante milhares de anos, houvera entre ambos uma espécie de longo namoro à distância, sem troca de cartas nem de promessas de amor eterno. O Homem, porém, nunca deixou de lhe dedicar belos poemas, para que a Lua jamais pudesse imaginar que caíra no seu esquecimento.
Por sua vez, mesmo nas noites mais escuras e enevoadas, a Lua procurou sempre enviar-lhe as suas centelhas de luz, como se quisesse dizer-lhe:
– Sabes onde estou e sabes também que podes contar comigo.
O Homem nunca teve dúvidas a esse respeito, mas, como uma viagem até à Lua não passava de um sonho praticamente impossível de realizar, ele preferia vê-la como se fosse um cavaleiro errante, observando à distância uma princesa encantada na torre mais alta de um castelo inatingível. Sonhavam um com o outro, de noite e de dia, mas nunca ousavam dar o passo seguinte, já resignados com a sorte que o destino lhes reservara.
Por isso, quando o Homem pôs pela primeira vez os pés no solo lunar, a Lua
sentiu-se, ao mesmo tempo, alegre e triste. Alegre, por ver que o seu namorado de sempre ganhara finalmente coragem para a visitar; triste, por não ter sido avisada com tempo suficiente, para se embelezar e poder recebê-lo.
E o que tinha para lhe mostrar? A solidão das suas crateras, o deserto das suas planícies e a luz pálida das suas vigílias nocturnas. Nada mais. Mas ela queria estar bela e sedutora no momento desse encontro tantas vezes imaginado.
A Lua, como qualquer mulher que cuida da sua imagem, sempre soubera que a distância favorece o jogo do enamoramento, pois mantém pouco visíveis as rugas, as madeixas desalinhadas e outras pequenas e grandes imperfeições que, vistas de perto, costumam agigantar-se de repente.
Por seu lado, o Homem, na estranha crueza do seu fato espacial, lamentava não poder mostrar o rosto à sua eterna namorada nem ter o atrevimento de a tentar abraçar. A falta de oxigénio, caso retirasse o equipamento de cosmonauta, seria, pela certa, o seu fim. E ele, já que ali chegara, não estava disposto a morrer, nem mesmo caído nos braços da Lua.»

José Jorge Letria, Quando o Homem Beijou a Lua,
Alfragide: Oficina do Livro, 2009 (texto com supressões)

—————————————————-

TEXTO B

«A FORÇA DA GRAVIDADE
A força da gravidade puxa todos os objectos na vertical, para baixo, em direcção ao centro da Terra. Podes perguntar: e então a Lua não está sujeita à força da gravidade? Sim, claro que está. Mas então porque é que a Lua não cai sobre a Terra?
Para descobrires porque é que a Lua não cai, vais fazer uma experiência bastante engraçada. Vais fazer girar um copo com feijões, sem que os feijões caiam!
Para isso, tens de abrir dois buracos na boca de um copo de plástico e passar por eles um fio, de modo a fazeres uma asa (como se fosse um pequeno balde). Deita uma mão cheia de feijões no copo e, agarrando pela asa, põe o copo a girar. Os feijões caem durante o movimento?
Da mesma maneira que os feijões não caem quando pões o copo a girar, também a Lua não cai. Tal como o copo, a Lua não está parada: ela gira em volta da Terra, demorando 27 dias (ou melhor, 27 dias, 7 horas e 43 minutos) a dar uma volta completa.
Sabes a que velocidade a Lua se move em torno da Terra? Move-se a quase 4000 km por hora! »

Constança Providência, Nuno Crato, Manuel Paiva, Carlos Fiolhais,
Ciência a Brincar 4: Descobre o Céu! , Lisboa, Editorial Bizâncio,
2005 (texto adaptado)

Posted in José Jorge Letria, Língua Portuguesa, Provas de aferição | Com as etiquetas : , | Leave a Comment »

Provas de Aferição de Língua Portuguesa – 2010

Posted by bibliobeiriz em Maio 5, 2010

Já disponíveis no GAVE ,  juntamente com os respectivos critérios e grelhas de classificação.

  • 1º Ciclo -Língua Portuguesa  Prova de  2010 (pdf)
  • 2º Ciclo -Língua Portuguesa -Prova de  2010  (pdf)

Posted in Língua Portuguesa, Provas de aferição | Leave a Comment »

A biblioteca da tartaruga- prova de aferição do 4º ano

Posted by bibliobeiriz em Maio 19, 2009

Tal como a prova de aferição do 6º ano, também a do  ano aborda questões relacionadas com os livros e a leitura. Sinal dos tempos e do grande investimento que o ME tem vindo a fazer nesta área através da RBE e do Plano Nacional de Leitura?  Tudo nos leva a crer que simprovafericao4an0 e ainda bem que estes temas estão a ser de modo explícito introduzidos na avaliação.

Posted in Plano Nacional de Leitura, Provas de aferição | 2 Comments »

Qual é o teu livro preferido? -prova de aferição do 6º ano

Posted by bibliobeiriz em Maio 18, 2009

Foi esse o tema da composição da Prova de aferição de Língua Portuguesa do 6º  ano.
Claro que, dadas as nossas funções, gostámos muito do assunto escolhido. Talvez tivéssemos formulado a pergunta de outra forma, pois segundo consta alguns alunos perderam tempo na escolha dO livro favorito (pelos vistos têm mais do que um, como nós, aliás). Mas as questões orientadoras facilitam a redacção, assim como as sugestões para se tornar o texto mais interessante: no fundo trata-se de uma simples “ficha de leitura”.

composicao-provaafericao-6ano

Na prova de LP do 4º  ano, os alunos também tiveram que mostrar as suas competências de biblioteca.

Posted in Provas de aferição | 4 Comments »